terça-feira, 27 de outubro de 2009

Projeto: CRESCENDO E APRENDENDO COM VINÍCIUS DE MORAES

PROJETO DIDÁTICO

CRESCENDO E APRENDENDO COM
Vínicius de Moraes


ESCOLA IOLANDA PIRES
COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA: MÁRCIA CRUZ
PROJETO DIDÁTICO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA
LINGUAGENS ENVOLVIDAS: Linguagem verbal, linguagem Matemática e Linguagem Artística
CLIENTELA: ALUNOS DAS TURMAS DE CIN – CICLO DA INFÂNCIA – FASES: II E III
PROFESSORAS: MARIA LÚCIA DE SANTANA SANTOS E URANIA LIMA BRANDÃO
PERÍOD DE DESENVOLVIMENTO: UM TRIMESTRE LETIVO
ANO: 2009

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NO CIN

1. TEMA DO PROJETO: CRESCENDO E APRENDENDO COM VINÍCIUS DE MORAES
2. EIXO TEMÁTICO: Meio Ambiente

3. JUSTIFICATIVA:
Tomando por base os resultados apresentados no relatório da Provinha Brasil 2009 aplicada na turma de CIN – Ciclo da Infância – fase: II que retratou que dos 19 (dezenove) alunos que foram avaliados, a maioria, ou seja, 57.89% dos alunos se encontram ainda, no NÍVEL 1 – No que se refere à construção das habilidades de leitura. Ou seja, 11(alunos) = 57.89 % dos alunos avaliados, encontra-se em estágio inicial em relação à aprendizagem da linguagem escrita. O que significa que os mesmos estão iniciando as suas apropriações das habilidades referentes ao domínio das regras que orientam o uso do sistema alfabético para ler escrever. E que outros 8 (oito) alunos = 42.11 % dos alunos que também foram submetidos à avaliação da Provinha Brasil, que responderam de 11 (onze) a 15 (quinze) questões corretas, se encontram no NÍVEL 2. Considerando também os diagnósticos realizados pelas regentes das turmas de CIN II e CIN III nesse 1º trimestre que retrata a necessidade de uma reflexão maior acerca da prática pedagógica dos professores do 1º ciclo – CIN – Ciclo da Infância para que de posse da realidade diagnosticada através da Provinha Brasil e associando esses resultados aos efeitos provocados pela prática de cada professor, possamos buscar alternativas de intervenção na rotina da sala de aula e a busca da utilização de propostas de alfabetização e letramento mais consistentes que ajudem os alunos a avançarem gradativamente em suas habilidades em relação à construção da escrita e habilidade de leitura, saído do nível 1 ao nível 5, ou seja, chegando a condição de alfabetizados.
Sendo que o trabalho com poesia em sala de aula está atrelado, entre outros problemas, às atividades e aos exercícios oferecidos pelos livros didáticos que tratam deste gênero discursivo, como pretexto para levar os alunos a discutirem conteúdos gramaticais e ortográficos, deixando de lado o valor literário que, prioritariamente, tais textos possuem. Assim, objetivando um trabalho de leitura e escrita que não simplesmente utilize o texto como pretexto para o ensino da língua portuguesa, mas que se proponha a levar diariamente poemas para a sala de aula, tendo como pressuposto básico a idéia de que a formação de leitores competentes está vinculada á constante presença de textos no contexto escolar é que propomos o desenvolvimento deste projeto didático de intervenção pedagógica.
4 . OBJETIVOS:
4.1.Objetivo Geral: Oportunizar aos educandos, o acesso ao universo literário mobilizado pela poesia, levando-os a constituírem uma relação diferenciada com a linguagem, e, conseqüentemente, tornar-se leitores e produtores de textos competentes.

4.2. Objetivos Específicos:
• Descobrir a importância da poesia como forma de expressão e comunicação;
• Possibilitar o contato com a nossa tradição literária e cultural, permitindo o resgate de nossas condições de criação;
• Imaginar, produzir sentidos e estabelecer relações entre a palavra e o mundo;
• Ouvir poemas e poesias lidas pelo professor;
• Ouvir pomas e poesias lidas pelos colegas;
• Ler e interpretar textos poéticos;
• Compreender o sentido dos poemas e poesias lidos na sala de aula;
• Produzir rimas;
• Produzir poemas e poesias;
• Declamar poemas e poesias;
• Diferenciar poesia de prosa;


5. Estratégias de Desenvolvimento:

• Aula expositiva sobre texto poético e prosa;
• Estudo, compreensão, produção e reescrita da biografia de Vinícius de Moraes;
• Escritas de auto biografias;
• Leitura e interpretação oral coletiva dos poemas e poesias de Vinícius de Moraes
• Leitura e interpretação escrita (individual) dos poemas e poesias de Vinícius de Moraes.
• Compreensão oral e escrita de textos poéticos;
• Leitura e Criação de rimas;
• Montagem de textos poéticos fatiados em tiras;
• Montagem de textos poéticos fatiados em palavras;
• Escrita e reescrita de textos poéticos;
• Ilustração de poesias e poemas;
• Elaboração de livreto de poesias produzidas pelos alunos;
• Declamação de poemas e poesias;
• Dramatização de poemas e poesias de Vinícius de Moraes
• Realização de Sarao das poesias estudas ou produzidas pelos alunos.

6. Recursos:
6. 1. Humanos: professores e alunos;
6. 2. Materiais: Livros portadores de textos poéticos; folhas mimeografadas; matrizes; Papel metro, lápis de cor, hidrocor, giz de gera, tesoura, pilotos, lápis grafite, Caneta esferográfica, enciclopédias, cola, cadernos dos alunos, mídias, TV, DVD e aparelho de som.

7. Acompanhamento e Avaliação: O projeto será acompanhado pela coordenação, observando-se a operacionalização das atividades nas salas de aula e os depoimentos dos professores nas reuniões do coletivo escolar, utilizando-se a observação das produções dos alunos, envolvimento, interesse e auto-avaliação, bem como os resultados apresentados no diagnóstico avaliativo dos alunos do CIN após o desenvolvimento do projeto.


ANEXOS:
BIOGRAFIA
Vinícius de Moraes: Vida e obras

Marcus Vinicius da Cruz Mello Moraes nasceu em 19 de outubro de 1913, no Rio de Janeiro. Atraído pela música desde cedo, Vinícius de Moraes teve seu primeiro poema musical publicado na revista. Em 1972, a estudante de Letras Gilda Mattoso conseguiu um autógrafo do astro Vinícius após um show para estudantes da UFF, em Niterói (RJ). Quatro anos depois o amor se concretizaria. O poeta , já sessentão; ela, com 23 anos. Na noite de 8 de julho de 1980, acertando detalhes das canções do LP Arca de Noé com Toquinho, Vinícius, já cansado, disse que iria tomar um banho. Toquinho foi dormir. Pela manhã foi acordado pela empregada que encontrara Vinícius na banheira com dificuldades para respirar. Toquinho correu para o banheiro, seguido de Gilda. Não houve tempo para socorrê-lo. Vinícius de Moares morria na manhã de 9 de julho. No enterro, abraçada a Elis Regina, Gilda lembrava da noite anterior, quando em uma entrevista, perguntaram ao poeta: “Você está com medo da morte?”. E Vinícius, placidamente, respondeu: “Não, meu filho. Eu não estou com medo da morte. Estou é com saudades da vida”.
Os primeiros passos de sua carreira estão ainda sob influências neo- simbolistas, contendo certo misticismo. Porém, logo modificou seu estilo para o erotismo, em contraste à suas obras de tom bíblicas anteriores. Nesta segunda fase, Vinícius de Moraes é caracterizado por inovações na ordem formal, a mais notável destas seria o aparecimento dos sonetos. Revela também, nesta segunda fase, uma valorização para o momento, com as coisas acontecendo de repente. Seus poemas trabalharam também com a felicidade e/ou a infelicidade muitas vezes, também. O autor procurou também escrever algumas poesias no ramo social. Fez também importante colaboração para a música nacional, cantando no estilo bossa nova. Algumas de suas obras: Em 1974, Vinicius e Toquinho compuseram "As Cores de Abril" e "Como É Duro Trabalhar", ambas incluídas na trilha sonora da novela "Fogo Sobre Terra" (da Rede Globo). Em 1980, foi lançado o álbum "Arca de Noé", que trouxe diversos intérpretes para as composições infantis do poeta, musicadas a partir do livro homônimo. O disco gerou um especial infantil na Rede Globo, naquele mesmo ano e muitas outras.
Poema: A Casa
Vinicius de Moraes
Composição: Vinicius de Moraes

POEMAS:

A CASA (Vinícius de Moraes)

ERA UMA CASA MUITO ENGRAÇADA

NÃO TINHA TETO, NÃO TINHA NADA

NINGUÉM PODIA ENTRAR NELA, NÃO

PORQUE NA CASA NÃO TINHA CHÃO

NINGUÉM PODIA DORMIR NA REDE

PORQUE NA CASA NÃO TINHA PAREDE

NINGUÉM PODIA FAZER PIPI

PORQUE PENICO NÃO TINHA ALI

MAS ERA FEITA COM MUITO ESMERO

NA RUA DOS BOBOS NÚMERO ZERO

A Foca

Vinicius de Moraes
Composição: Vinicius de Moraes / Toquinho

QUER VER A FOCA
FICAR FELIZ?
É PÔR UMA BOLA
NO SEU NARIZ

QUER VER A FOCA
BATER PALMINHA?
É DAR A ELA
UMA SARDINHA

QUER VER A FOCA
COMPRAR UMA BRIGA?
É ESPETAR ELA
BEM NA BARRIGA

LÁ VAI A FOCA
TODA ARRUMADA
DANÇAR NO CIRCO
PRA GAROTADA

LÁ VAI A FOCA
SUBINDO A ESCADA
DEPOIS DESCENDO
DESENGONÇADA

QUANTO TRABALHA
A COITADINHA
PRA GARANTIR
SUA SARDINHA

O Gato
Vinicius de Moraes
Composição: Vinicius de Moraes / Toquinho / Bacalov

COM UM LINDO SALTO
LEVE E SEGURO
O GATO PASSA
DO CHÃO AO MURO
LOGO MUDANDO
DE OPINIÃO
PASSA DE NOVO
DO MURO AO CHÃO
E PISA E PASSA
CUIDADOSO, DE MANSINHO
PEGA E CORRE, SILENCIOSO
ATRÁS DE UM POBRE PASSARINHO
E LOGO PÁRA
COMO ASSOMBRADO
DEPOIS DISPARA
PULA DE LADO
SE NUM NOVELO
FICA ENROSCADO
OURIÇA O PÊLO, MAL-HUMORADO
UM PREGUIÇOSO É O QUE ELE É
E GOSTA MUITO DE CAFUNÉ

COM UM LINDO SALTO
LEVE E SEGURO
O GATO PASSA
DO CHÃO AO MURO
LOGO MUDANDO
DE OPINIÃO
PASSA DE NOVO
DO MURO AO CHÃO
E PISA E PASSA
CUIDADOSO, DE MANSINHO
PEGA E CORRE, SILENCIOSO
ATRÁS DE UM POBRE PASSARINHO
E LOGO PÁRA
COMO ASSOMBRADO
DEPOIS DISPARA
PULA DE LADO
E QUANDO À NOITE VEM A FADIGA
TOMA SEU BANHO
PASSANDO A LÍNGUA PELA BARRIGA

O Pingüim
Vinícius de Moraes

BOM-DIA, PINGÜIM
ONDE VAI ASSIM
COM AR APRESSADO?
EU NÃO SOU MALVADO
NÃO FIQUE ASSUSTADO
COM MEDO DE MIM.
EU SÓ GOSTARIA
DE DAR UM TAPINHA
NO SEU CHAPÉU DE JACA
OU BEM DE LEVINHO
PUXAR O RABINHO
DA SUA CASACA


O Elefantinho
Vinícius de Moraes

ONDE VAIS, ELEFANTINHO
CORRENDO PELO CAMINHO
ASSIM TÃO DESCONSOLADO?
ANDAS PERDIDO, BICHINHO
ESPETASTE O PÉ NO ESPINHO
QUE SENTES, POBRE COITADO?
— ESTOU COM UM MEDO DANADO
ENCONTREI UM PASSARINHO!

A um Passarinho
Vinícius de Moraes

PARA QUE VIESTE
NA MINHA JANELA
METER O NARIZ?
SE FOI POR UM VERSO
NÃO SOU MAIS POETA
ANDO TÃO FELIZ!
SE É PARA UMA PROSA
NÃO SOU ANCHIETA
NEM VENHO DE ASSIS.
DEIXA-TE DE HISTÓRIAS
SOME-TE DAQUI!
A Cachorrinha
Vinícius de Moraes

MAS QUE AMOR DE CACHORRINHA!
MAS QUE AMOR DE CACHORRINHA!

PODE HAVER COISA NO MUNDO
MAIS BRANCA, MAIS BONITINHA
DO QUE A TUA BARRIGUINHA
CRIVADA DE MAMIQUINHA?
PODE HAVER COISA NO MUNDO
MAIS TRAVESSA, MAIS TONTINHA
QUE ESSE AMOR DE CACHORRINHA
QUANDO VEM FAZER FESTINHA
REMEXENDO A TRASEIRINHA?
O ar (O vento)
Vinicius de Moraes
Composição: Vinicius de Moraes / Toquinho / Bacalov
ESTOU VIVO MAS NÃO TENHO CORPO
POR ISSO É QUE NÃO TENHO FORMA
PESO EU TAMBÉM NÃO TENHO
NÃO TENHO COR

QUANDO SOU FRACO
ME CHAMO BRISA

E SE ASSOBIO
ISSO É COMUM

QUANDO SOU FORTE
ME CHAMO VENTO

QUANDO SOU CHEIRO




Leão

Vinícius de Moraes

LEÃO! LEÃO! LEÃO!
RUGINDO COMO UM TROVÃO
DEU UM PULO, E ERA UMA VEZ
UM CABRITINHO MONTÊS.
LEÃO! LEÃO! LEÃO!
ÉS O REI DA CRIAÇÃO!
TUA GOELA É UMA FORNALHA
TEU SALTO, UMA LABAREDA
TUA GARRA, UMA NAVALHA
CORTANDO A PRESA NA QUEDA.
LEÃO LONGE, LEÃO PERTO
NAS AREIAS DO DESERTO.
LEÃO ALTO, SOBRANCEIRO
JUNTO DO DESPENHADEIRO.
LEÃO NA CAÇA DIURNA
SAINDO A CORRER DA FURNA.
LEÃO! LEÃO! LEÃO!
FOI DEUS QUE TE FEZ OU NÃO?
O SALTO DO TIGRE É RÁPIDO
COMO O RAIO; MAS NÃO HÁ
TIGRE NO MUNDO QUE ESCAPE
DO SALTO QUE O LEÃO DÁ.
NÃO CONHEÇO QUEM DEFRONTE
O FEROZ RINOCERONTE.
POIS BEM, SE ELE VÊ O LEÃO
FOGE COMO UM FURACÃO.
LEÃO SE ESGUEIRANDO, À ESPERA
DA PASSAGEM DE OUTRA FERA...
VEM O TIGRE; COMO UM DARDO
CAI-LHE EM CIMA O LEOPARDO
E ENQUANTO BRIGAM, TRANQÜILO
O LEÃO FICA OLHANDO AQUILO.
QUANDO SE CANSAM, O LEÃO
MATA UM COM CADA MÃO.
LEÃO! LEÃO! LEÃO!
ÉS O REI DA CRIAÇÃO!


A Pulga
Vinicius de Moraes
Composição: Vinicius de Moraes / Toquinho

UM, DOIS, TRÊS
QUATRO, CINCO, SEIS
COM MAIS UM PULINHO
ESTOU NA PERNA DO FREGUÊS
UM, DOIS, TRÊS
QUATRO, CINCO, SEIS
COM MAIS UMA MORDIDINHA
COITADINHO DO FREGUÊS
UM, DOIS, TRÊS
QUATRO, CINCO, SEIS
TÔ DE BARRIGUINHA CHEIA
TCHAU
GOOD BYE
AUF WIEDERSEHEN

A FORMIGA
VINICIUS DE MORAES

COMPOSIÇÃO: VINICIUS DE MORAES / PAULO SOLEDADE
AS COISAS DEVEM SER BEM GRANDES
PRA FORMIGA PEQUENINA
A ROSA, UM LINDO PALÁCIO
E O ESPINHO, UMA ESPADA FINA

A GOTA D'ÁGUA, UM MANSO LAGO
O PINGO DE CHUVA, UM MAR
ONDE UM PAUZINHO BOIANDO
É NAVIO A NAVEGAR

O BICO DE PÃO, O CORCOVADO
O GRILO, UM RINOCERONTE
UNS GRÃOS DE SAL DERRAMADOS,
OVELHINHAS PELO MONTE

A Galinha d' Angola
Vinicius de Moraes
Composição: Vinicius de Moraes / Toquinho

COITADA, COITADINHA
DA GALINHA-D'ANGOLA
NÃO ANDA ULTIMAMENTE
REGULANDO DA BOLA

ELA VENDE CONFUSÃO
E COMPRA BRIGA
GOSTA MUITO DE FOFOCA
E ADORA INTRIGA
FALA TANTO
QUE PARECE QUE ENGOLIU UMA MATRACA
E VIVE RECLAMANDO
QUE ESTÁ FRACA

TOU FRACA! TOU FRACA!
TOU FRACA! TOU FRACA! TOU FRACA!

COITADA, COITADINHA
DA GALINHA-D'ANGOLA
NÃO ANDA ULTIMAMENTE
REGULANDO DA BOLA

COME TANTO
ATÉ TER DOR DE BARRIGA
ELA É UMA BAGUNCEIRA
DE UMA FIGA
QUANDO CHOCA, COCOROCA
COME MILHO E COME CACA
E VIVE RECLAMANDO
QUE ESTÁ FRACA

TOU FRACA! TOU FRACA! TOU FRACA!


O PERU
VINICIUS DE MORAES
COMPOSIÇÃO: VINICIUS DE MORAES / TOQUINHO / PAULO SOLEDADE

GLU! GLU! GLU!
ABRAM ALAS PRO PERU!

O PERU FOI A PASSEIO
PENSANDO QUE ERA PAVÃO
TICO-TICO RIU-SE TANTO
QUE MORREU DE CONGESTÃO

O PERU DANÇA DE RODA
NUMA RODA DE CARVÃO
QUANDO ACABA FICA TONTO
DE QUASE CAIR NO CHÃO

O PERU SE VIU UM DIA
NAS ÁGUAS DO RIBEIRÃO
FOI-SE OLHANDO, FOI DIZENDO
QUE BELEZA DE PAVÃO

FOI DORMIR E TEVE UM SONHO
LOGO QUE O SOL SE ESCONDEU
QUE SUA CAUDA TINHA CORES
COMO A DESSE AMIGO SEU


O PINTINHO
VINICIUS DE MORAES
COMPOSIÇÃO: VINICIUS DE MORAES / TOQUINHO / GILDA MATTOSO / SÉRGIO BARDOTTI / PIPO CARUSO

PINTINHO NOVO
PINTINHO TONTO
NÃO ESTÁS NO PONTO
VOLTA PRO OVO
EU NÃO ME CALO
FALO DE NOVO
NÃO BANQUE O GALO
VOLTA PRO OVO
A TIA RAPOSA

NÃO MARCA TOUCA
TÁ SÓ TE OLHANDO
COM ÁGUA NA BOCA
E SE LIGEIRO VOCÊ ESCAPAR
TEM UM GRANJEIRO
QUE VAI TE ADOTAR

O MEU OVO ESTÁ ESTREITINHO
JÁ ME SINTO UM GALETINHO
JÁ POSSO SAIR SOZINHO
EU JÁ SOU DONO DE MIM
VOU CISCAR PELA CIDADE
GRÃO-DE-BICO EM QUANTIDADE
MUITO MILHO E LIBERDADE
POR FIM

PINTINHO RARO
PINTINHO NOVO
TÁ TUDO CARO
VOLTA PRO OVO
E O TEMPO INTEIRO
TERÁS PINTINHO
UM COZINHEIRO
NO TEU CAMINHO
POR ISSO EU DIGO
E FALO DE NOVO
PINTINHO AMIGO
ENTÃO VOLTA PRO OVO
SE DE REPENTE VOCÊ ESCAPAR
NUM FORNO QUENTE VOCÊ VAI PARAR

GOSTO MUITO DESSA VIDA
ENSOPADA OU COZIDA
ATÉ ASSADA É DIVERTIDA
COM SALADA E AIPIM
TUDO LINDO, A VIDA É BELA
MESMO SENDO À CABIDELA
POIS SERÁ NUMA PANELA
MEU FIM

POR ISSO EU DIGO
E FALO DE NOVO
PINTINHO AMIGO
ENTÃO VOLTA PRO OVO
E SE LIGEIRO VOCÊ ESCAPAR
TEM UM GRANJEIRO
QUE VAI TE ADOTAR

A FORMIGA
VINICIUS DE MORAES
COMPOSIÇÃO: VINICIUS DE MORAES / PAULO SOLEDADE

AS COISAS DEVEM SER BEM GRANDES
PRA FORMIGA PEQUENINA
A ROSA, UM LINDO PALÁCIO
E O ESPINHO, UMA ESPADA FINA

A GOTA D'ÁGUA, UM MANSO LAGO
O PINGO DE CHUVA, UM MAR
ONDE UM PAUZINHO BOIANDO
É NAVIO A NAVEGAR

O BICO DE PÃO, O CORCOVADO
O GRILO, UM RINOCERONTE
UNS GRÃOS DE SAL DERRAMADOS,
OVELHINHAS PELO MONTE


O PORQUINHO
VINICIUS DE MORAES
COMPOSIÇÃO: VINICIUS DE MORAES / TOQUINHO

MUITO PRAZER, SOU O PORQUINHO
EU TE ALIMENTO TAMBÉM
MEU COURO BEM TOSTADINHO
QUEM É QUE NÃO SABE O SABOR QUE TEM
SE VOCÊ CRESCE UM POUQUINHO
O MÉRITO, EU SEI
CABE A MIM TAMBÉM

SE QUISER, ME CHAME
TE DAREI SALAME
E A MORTADELA
BRANCA, ROSA E BELA
NUM PÃOZINHO QUENTE
CONTINUANDO O ASSUNTO
TE DAREI PRESUNTO
E NA FEIJOADA
MESMO REQUENTADA
AGRADO A TODA GENTE

SENDO UM PORQUINHO INFORMADO
O MEU DESTINO BEM SEI
DEPOIS DE ESTAR BEM TOSTADO
FRITINHO OU ASSADO
EU PARTIREI
COM A TIA VACA DO LADO
VESTIDO DE ANJINHO
PRO CÉU VOAREI

DO RABO AO FOCINHO
SOU TODO TOICINHO
BOTA MALAGUETA
EM MINHA COSTELETA
NUMA GORDURINHA
QUE COISA MALUCA
MINHA PURURUCA
É UMA BELEZA
MINHA CALABRESA
NO AZEITE FRITINHA

O PATO

VINICIUS DE MORAES
COMPOSIÇÃO: VINICIUS DE MORAES / TOQUINHO / PAULO SOLEDADE

QÜÉN! QÜEN! QÜÉN! QÜEN!
QÜÉN! QÜEN! QÜÉN! QÜEN!
QÜÉN! QÜEN! QÜÉN! QÜEN!
QÜÉN! QÜEN! QÜÉN! QÜEN!

LÁ VEM O PATO
PATA AQUI, PATA ACOLÁ
LÁ VEM O PATO
PARA VER O QUE É QUE HÁ...(2X)

O PATO PATETA
PINTOU O CANECO
SURROU A GALINHA
BATEU NO MARRECO
PULOU DO POLEIRO
NO PÉ DO CAVALO
LEVOU UM COICE
CRIOU UM GALO...

COMEU UM PEDAÇO
DE GENIPAPO
FICOU ENGASGADO
COM DOR NO PAPO
CAIU NO POÇO
QUEBROU A TIGELA
TANTAS FEZ O MOÇO
QUE FOI PRÁ PANELA...

QUÁ! QUÁ! QUÁ! QUÁ QUÁ!
QUÁ! QUÁ! QUÁ! QUÁ QUÁ!
QUÁ! QUÁ! QUÁ! QUÁ QUÁ!

LÁ VEM O PATO
PATA AQUI, PATA ACOLÁ
LÁ VEM O PATO
PARA VER O QUE É QUE HÁ...(2X)

O PATO PATETA
PINTOU O CANECO
SURROU A GALINHA
BATEU NO MARRECO
PULOU DO POLEIRO
NO PÉ DO CAVALO
LEVOU UM COICE
CRIOU UM GALO...

COMEU UM PEDAÇO
DE GENIPAPO
FICOU ENGASGADO
COM DOR NO PAPO
CAIU NO POÇO
QUEBROU A TIGELA
TANTAS FEZ O MOÇO
QUE FOI PRÁ PANELA...

CAIU NO POÇO
QUEBROU A TIGELA
TANTAS FEZ O MOÇO
QUE FOI PRÁ PANELA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente

Postar um comentário